Perdi meu Emprego, o que faço com meu plano de Previdência?

É muito comum encontrar quem possua um Plano de Previdência Privada oferecido pela empresa onde trabalha, e que quando são demitidos ou pedem demissão, não sabem o que acontece com os valores depositados.

 

Os investimentos feitos por você estarão integralmente à disposição, já para os aportes efetuados pelo seu ex-empregador, existe um conjunto de regras chamado Vesting que define os valores a que você tem direito no caso de desligamento.

Ex.:

 

 

Conheça a seguir suas opções:

 

Auto Patrocínio

Aqui você continuará depositando sua parte e a parte da empresa até se aposentar, a partir de 55 anos. A qualquer momento, você poderá requerer a Portabilidade, o Benefício Proporcional Diferido ou o Resgate de 100% do saldo que você aplicou.

 Neste momento em que está desempregado, não é a melhor opção.

 

 

Benefício Proporcional Diferido

Você poderá parar de contribuir e deixar os valores aplicados no seu Plano de Previdência até os 55 anos quando poderá usufruí-lo em sua totalidade.

A qualquer momento você poderá requerer a Portabilidade ou o Resgate de 100% do saldo que você investiu, e que somente estará disponível após 3 anos de contribuição. Desde que você ainda não tenha atingido a idade da aposentadoria normal, 60 anos.

Está é a opção mais viável para você neste momento.

 

 

Portabilidade

Você poderá transferir o saldo do plano que você possui na empresa onde trabalhava para outro Plano de Previdência Privada, neste caso, você poderá perder parte dos recursos que a empresa investiu para você dependendo das regras de seu plano.

 

 

Resgate

Você poderá sacar os valores do seu Plano de Previdência Privada total ou parcial. Nesta opção além do Imposto de Renda você perderá parte dos valores que a empresa depositou.

O prejuízo nesta opção pode ser grande, uma vez que os valores têm incidência de Imposto de Renda e dependerá da tabela escolhida na contratação do plano. Para a Tabela Regressiva, a tributação atual é 35%, 30% e 25% dependendo da data dos aportes efetuados. Para a Tabela Progressiva você pagará 15% do valor do resgate no ato e deverá fazer os ajustes em sua declaração de Imposto de Renda anual, podendo chegar a 27,5% de IR no total.

Essa deveria ser sua última escolha.

 

 

Importante

O mais importante nessa hora, é você conhecer as regras do jogo, os seus direitos e optar pela alternativa que lhe traga o maior benefício, ou o menor prejuízo.

 

Veja aqui como o BUSCAPREV poderá te ajudar nesta escolha.

  • Postado em: 21/08/2014
  • Autor: Keyton Pedreira
  • Categoria: Dúvidas
  • Visualizações: 1845