Nossas Matérias

Tire suas dúvidas sobre previdência, leia dicas e entrevistas de quem entende do assunto e muito mais. Tudo para você escolher o melhor previdência privada para sua aposentadoria!

Categoria: Dicas

planejamento financeiro após os 40 anos

Dicas de planejamento financeiro após os 40 anos

Montar um planejamento financeiro após os 40 anos é de grande importância para todos, pois essa é a idade em que você começa a pensar na sua aposentadoria. Como muitos sabem, o piso de uma aposentadoria é de até 7 salários mínimos.

Para quem está acostumado com um alto padrão de vida, viver com apenas 7 salários é muito pouco, pois com o passar dos anos as despesas só aumentam: remédios e planos de saúdes que tem ajustes de acordo com a idade.

É preciso manter a sua qualidade de vida, uma das maneiras é continuar trabalhando após a aposentadoria, e a outra que é muito mais viável é começar a montar um planejamento financeiro desde agora evitando futuros desgastes.

 

Separamos algumas dicas para você começar a montar o seu planejamento financeiro:

 

1 – Redução de Gastos.

Começar a reduzir os gastos financeiros é o primeiro passo para que você comece a organizar o seu planejamento. Pare e comece a pensar o que realmente é importante e quais são suas verdadeiras prioridades. A redução de pequenos gastos hoje vai fazer total diferença quando você se aposentar.

 

 Cartão de Crédito? Só quando  necessidade.

Se você tem a possibilidade de pagar à vista, então pague! A maioria dos lugares oferece descontos para pagamentos à vista, e se você evitar o uso do cartão de crédito, automaticamente você não se prenderá a dívidas.

 

3 – Não se precipite, compare antes de comprar!

Hoje com o avanço da tecnologia é possível comparar preços de antes do ato da compra, inclusive de serviços. Não se precipite: hoje na internet você pode encontrar diversos sites comparadores de preços, escolha um lugar confiável e com o melhor preço para continuar economizando!

 

4 – Controle de receitas e despesas

Para que você possa ter controle de todos os seus gastos, é preciso acompanhá-los mensalmente no mínimo, caso contrário você se perderá em suas despesas, correndo o risco de perder tudo o que já foi planejado!

 

5 – Invista em previdência privada

Ter uma previdência privada é a garantia do seu futuro após sua aposentadoria. O dinheiro que foi guardado com o seu planejamento poderá ser depositado em um fundo de previdência privada, muitas vezes com rendimentos melhores do que os da poupança.

 

Quer saber mais sobre previdência privada? Clique aqui.

Leia Mais
  • Postado em: 06/06/2014
  • por Keyton Pedreira
  • Categoria: Dicas
  • Visualizações: 3233
None

Devo contar com a previdência social para a aposentadoria?

Quem contribui ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) durante os anos de ativa tem o direito de receber a aposentadoria paga pelo governo, desde que cumpridas as regras de idade e tempo de contribuição.

Apesar de ser um benefício importante, muitas vezes o valor pago pela Previdência Social não é suficiente para sustentar o mesmo padrão de vida que o trabalhador tinha antes de se aposentar, isso faz com que muitos continuem trabalhando mesmo depois de aposentado para continuar com o padrão de vida anterior.

Porém essa é uma situação que pode ser diferente, se você tiver um planejamento financeiro com aplicações investidas, assim como os planos de previdência privada que atualmente são uma das maneiras mais seguras e confiáveis para conseguir se ter uma aposentadoria tranquila sem depender apenas da previdência social.

Faça uma simulação de previdência privada e encontre o melhor plano para você.

No vídeo abaixo, André Perfeito, economista-chefe da Gradual Investimentos, até que ponto você deve contar com a Previdência Social para garantir uma aposentadoria tranquila.

Veja o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=j9uddT6XM5c

Leia Mais
  • Postado em: 12/01/2015
  • por Keyton Pedreira
  • Categoria: Dicas
  • Visualizações: 1285
None

Escolha seu Plano de Previdência como se fosse comprar um Carro

Com as constantes notícias de déficit da Previdência Social, um número cada vez maior de pessoas pensa em contratar um plano de previdência privada para garantir uma aposentadoria tranquila.

No entanto, por mais simples que possa parecer, a escolha do produto mais adequado para o perfil de cada um deve ser feita com cuidado. Observar certos detalhes é importantíssimo, antes de simplesmente aceitar o plano oferecido pelo gerente do banco.

Escolha similar à de um carro

A escolha de um plano de previdência privada é bastante parecida com a compra de um automóvel: é preciso optar por uma marca, modelo, motor, opcionais e preço interessante.

Marca

Em primeiro lugar, é preciso saber quanto tempo falta para se aposentar e qual a marca (empresa, no caso da previdência privada) escolhida. Para optar por uma entidade confiável, vale consultar a Susep (Superintendência de Seguros Privados).

É preciso saber desde quando a empresa existe, quantos clientes ela possui, se está presente em outros países etc e exigir o máximo de garantia de que receberá o dinheiro investido daqui a 20 ou 30 anos.

Modelo

Na hora de escolher o “modelo” do seu plano de previdência, o que equivale ao PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) ou VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), deve-se levar em conta alguns fatores, visto que não é possível mudar a opção ao longo do tempo.

PGBL é recomendado para quem quer obter uma vantagem fiscal, já que é possível abater até 12% da renda tributável anual: caso ganhe R$ 60 mil durante um ano, por exemplo, sua renda tributável poderá ser reduzida em R$ 7,2 mil, o quer dizer que você só pagará Imposto de Renda sobre R$ 52,8 mil.

Para isso, você terá de aplicar os R$ 7,2 mil em um plano de previdência ao longo do ano. Além disso, na hora de receber o dinheiro investido de volta, você pagará imposto sobre todo o montante aplicado.

O VGBL, por sua vez, é indicado para quem faz a declaração simplificada do IR, para profissionais liberais, para quem quer aplicar além dos 12% investidos no PGBL ou ainda para quem quer deixar o dinheiro como herança, visando a um planejamento tributário, pois não há pagamento de imposto quando os recursos são transferidos aos beneficiários.

Neste tipo de plano, não há abatimento de imposto de renda, mas você só pagará o tributo sobre o rendimento nos resgates ou no recebimento de sua aposentadoria.

Outros aspectos

A escolha do motor nos planos de previdência privada equivale aos de renda fixa (semelhantes aos veículos utilitários, mais lentos, mas que não trazem risco aos motoristas) ou que aplicam parte do dinheiro em ações (automóveis mais potentes e velozes, mas mais arriscados).

Por sua vez, o regime tributário é semelhante ao combustível que pode ser usado no carro: tabela progressiva ou regressiva do imposto de renda.

De maneira geral, a regressiva vale para quem vai ficar mais de oito ou dez anos com o plano, visto que a alíquota cai a cada dois anos, podendo chegar a 10%.

Para períodos de investimento abaixo disso e para quem for receber valor mensal (somando todos os rendimentos, e não só o pagamento do plano de previdência privada) menor que o limite de isenção do IR (quando o imposto não incidirá), a tabela progressiva é mais vantajosa.

Em relação aos opcionais (benefícios de risco ou seguros de vida e para invalidez), eles podem ser válidos dependendo do perfil da pessoa, lembrando que possuem um custo adicional.

Preço Interessante

Por fim, em relação ao preço interessante do veículo, a comparação são com as taxas de carregamento e administração financeira cobradas pelas empresas que podem variar de acordo com o valor aplicado, sendo que deve-se buscar o menor custo, sobretudo para a de administração financeira. Dificilmente bancos negociam essas taxas por serem regidas por regras pré-definidas.

Comparar um plano com outro e de empresas diferentes pode ser a saída mais segura.

É importante também comparar a rentabilidade de planos semelhantes, não vale pegar um plano de renda variável e comparar com um de renda fixa, por exemplo. Além disso, lembre-se que rentabilidade passada não garante rentabilidade futura.

Parabéns! Depois de feitas as escolhas, você é o mais novo proprietário de um veículo zero km, ou melhor, o mais novo participante de um plano de Previdência Privada, um mercado que já conta com mais de 10 milhões de pessoas que buscam complementar sua aposentadoria, proteger sua família, deixar seu dinheiro como herança ou então fazer um investimento à longo prazo.

Clique aqui e compare o seu plano atual com os demais no mercado.

Leia Mais
  • Postado em: 08/12/2014
  • por Keyton Pedreira
  • Categoria: Dicas
  • Visualizações: 1563
None

Vantagens da Previdência Privada

Mais do que uma garantia ao final da carreira profissional, os planos de previdência privada também são uma opção para diferentes tipos investidores, com diferentes objetivos – como por exemplo os que desejam somente acumular uma quantia rentável para o futuro, os investidores jovens e menos experientes, os pais que desejam garantir uma poupança futura para os filhos pequenos e etc.

Uma das vantagens desse tipo de aplicação é que, diferente da previdência ligada ao INSS, a previdência fechada permite que o investidor abra mão do plano quando bem entender, resgatando o dinheiro investido sem prejuízos.

Os tipos de previdência que existem, hoje, no Brasil abrangem necessidades e alvos de dois dos principais perfis de investidores, e as vantagens de tais planos são:

1) PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre:

- Abatimento no Imposto de Renda: caso o valor investido represente um teto de 12% da renda anual bruta do investidor, ele pode ser abatido na declaração de IR.

- Cobrança sobre o valor final: a cobrança de impostos na hora da retirada é feita em cima de todo o valor recolhido, ou seja, o investimento e seus rendimentos.

2) VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre:

- Investimento baixos com retorno: para quem declara IR de forma simples, ou simplesmente não declara, também pode investir.

- Cobrança sobre rentabilidade: a cobrança de impostos na retirada do investimento é feita apenas em cima do valor rendido, e não sobre todo valor final.

Existem, ainda, os planos de previdência tradicional e FAPI, onde o primeiro é um plano que garante a rentabilidade mínima com correções anuais e, o segundo, não garante rentabilidade, mas sim um Fundo de Aposentadoria Programada Individual.

Para quem pretende começar a investir, os benefícios são imensos. Desde o planejamento de projetos a longo prazo é a complementação da sua aposentadoria, um plano de previdência privada nunca trará uma vantagem em detrimento de quaisquer outros benefícios.

Clique e faça agora uma comparação de planos de previdência privada com o BuscaPrev. Garantimos que você irá encontrar o plano de previdência que mais se encaixa nas suas necessidades!

 

Leia Mais
  • Postado em: 01/10/2014
  • por Keyton
  • Categoria: Dicas
  • Visualizações: 3835